CPA – Comissão própria de avaliação

Na Faculdade de Cafelândia (FAC) desenvolve-se a autoavaliação institucional desde o início das suas atividades acadêmicas em 2003. Com os novos moldes propostos pelo SINAES, a comissão coordenadora do processo de autoavaliação da instituição passa por mudanças na sua estrutura, composição e funcionamento. O formato da autoavaliação também passa por mudanças, e desde 2005 vem sendo constantemente avaliado e aprimorado, visto que a CPA da Faculdade de Cafelândia tem por missão “avaliar para alcançar um aprimoramento contínuo”.

De acordo com a missão institucional e objetivos da faculdade, desde a estruturação da CPA até a operacionalização da proposta de autoavaliação institucional em todas as suas etapas (preparação, desenvolvimento e consolidação), há a participação ativa e concreta de todos os segmentos que compõem a comunidade acadêmica e representatividades da comunidade externa.


Princípios da autoavaliação institucional
  • Responsabilidade social
  • Respeito à identidade, missão e história da instituição
  • Globalidade institucional
  • Continuidade do processo avaliativo
  • Impessoalidade
  • Participação e coletividade
  • Flexibilidade

  • Objetivos da autoavaliação institucional

    O processo de autoavaliação institucional da FAC reconhecendo o caráter regulatório do SINAES, propõe um processo avaliativo diagnóstico, formativo e regulatório que tem por desígnio o perfil institucional e o significado interno de sua atuação, por meio de seus objetivos:

  • Conduzir os processos internos de avaliação da instituição a fim de identificar a qualidade dos serviços prestados e dos cursos ofertados pela instituição;
  • Avaliar e traçar um panorama da satisfação da comunidade acadêmica, direcionando ações para promover melhorias no desempenho global;
  • Sistematizar e prestar as informações solicitadas pelo INEP, no âmbito do SINAES, observada a legislação pertinente;

  • Dimensões da autoavaliação

  • Missão e PDI
  • Política para o ensino
  • Responsabilidade social
  • Comunicação
  • Políticas de pessoal
  • Gestão e sustentabilidade
  • Infraestrutura física
  • Planejamento e avaliação
  • Políticas de atendimento aos estudantes

  • A operacionalização da autoavaliação

    A operacionalização da autoavaliação na Faculdade de Cafelândia se dá a partir das dimensões. Os indicadores de autoavaliação estão especificados nos instrumentos de autoavaliação (principalmente, questionários) respondidos por todos os segmentos da comunidade acadêmica. O procedimento de coleta de dados da CPA à partir de 2014 foi totalmente automatizado. Houve a reformulação do questionário, adaptando à realidade da instituição e a implementação do Formulário Online, em que os acadêmicos responderam diretamente na Web. A interpretação e análise dos resultados sistematizados são realizadas pela CPA, culminando com a elaboração de relatórios e parecer conclusivo a ser encaminhado aos órgãos colegiados e equipe gestora da instituição.


    A Metodologia da autoavaliação

    O eixo norteador da autoavaliação na Faculdade de Cafelândia repousa na reflexão sobre a missão, os objetivos e as políticas institucionais, bem como seus programas estruturados no PDI, e o que vem, de fato, se realizando no âmbito acadêmico local. Para tanto, utilizam-se dois instrumentais a serem detalhados no próximo item: Coleta de informações primárias (questionários respondidos pela comunidade acadêmica) e Coleta de informações secundárias (relatórios e documentos institucionais diversos).

    A primeira modalidade de informações remete para a experiência pessoal de cada um na vivência institucional da Faculdade de Cafelândia, a fim de identificar os graus de satisfação ou insatisfação em relação aos indicadores ou questões em avaliação. A satisfação é indicada pelos conceitos: Muito satisfeito, satisfeito, regular, insatisfeito, muito insatisfeito e desconheço. Também é apresentada a opção de resposta desconheço para que o respondente possa indicar o não conhecimento do item avaliado.

    Essas informações são coletadas por meio de questionários específicos para cada segmento da comunidade acadêmica (docentes, discentes e corpo técnico e administrativo), com questões objetivas e espaço para texto descritivo que permitiram tecer comentários e/ou sugestões.

    As informações secundárias são obtidas no Sistema Acadêmico (SAGRES) utilizado pela IES, e em seminários para discussão dos resultados com a comunidade acadêmica.


    Os agentes do processo

    Toda comunidade acadêmica será envolvida e convidada a participar do processo de autoavaliação institucional, sendo composta por:
  • Corpo discente: Estudantes regularmente matriculados em cursos presenciais;
  • Corpo docente: Professores em efetivo exercício na FAC.
  • Corpo técnico e administrativo: Servidores técnicos e administrativos em efetivo exercício na FAC.

  • As etapas do processo

    A autoavaliação institucional da Faculdade de Cafelândia conta com a participação dos agentes citados no item anterior, sendo: preparação, desenvolvimento e consolidação.

    Interpretação, análise e tratamento dos dados

    A interpretação dos dados é realizada pela CPA, posterior à aplicação do questionário online, elaboração dos gráficos que são apresentados em seminários/assembleias junto à comunidade interna para apresentação dos resultados sistematizados. Os resultados são interpretados com os segmentos a que se referem e desta interpretação resulta novos comentários e informações sistematizadas pela CPA que vem a confirmar, complementar ou corrigir as informações inicialmente obtidas com os questionários.

    De posse dos relatórios parciais e das discussões resultantes dos seminários/assembleias, a CPA procede à análise dos resultados, elaboração de um plano de ação, a elaboração do relatório final de autoavaliação e o parecer conclusivo a ser encaminhado aos órgãos colegiados e equipe gestora da IES.

    A Portaria nº 2.051/2004, que regulamenta os procedimentos de avaliação do SINAES, define que a CPA deve contar com a presença de todos os segmentos da comunidade acadêmica: Docentes, Discentes, Técnicos Administrativos, Comunidade – Sociedade Civil Organizada.


    MEMBROS DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO 2017


  • Coordenação
  • Ana Claudia Saggin
  • Representantes do Corpo Técnico-Administrativo
  • Daniel Gonçalves
  • Daniele Becker do Amaral
  • Representante do Corpo Docente
  • Ana Claudia Saggin
  • Weslen de Almeida Zanini
  • Representantes da Sociedade Civil Organizada
  • Gilmar Douglas Mezari
  • Luciane Zatta Roling
  • Representantes do Corpo Discente
  • Debora Cristina Mendes Vieira
  • Tânia Mara Melo